terça-feira, 18 de novembro de 2008

'A Marcha dos Espíritos Livres'


I - Valeu a pena. Sem qualquer dúvida ou hesitação. Valeria, igualmente, se estivéssemos, apenas, algumas centenas de professores razoavelmente livres. Mas ... a história faz-se de baptismos e para cada acto há um primeiro gesto, geralmente simbólico. As expectativas transcenderam muitos de nós, tanto em número como em atitude.

II - As expressões das pessoas não enganam e as fotografias - as que apresento - falham muitas vezes. Fica a ideia e a intenção e o registo para história e para a estória de quem o desejar.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O PEDINTE

À porta da igreja
Estava um velho pedinte
Mão engelhada
Rosto chupado
Corpo curvado
Tremente de frio

À porta da igreja
Estava um velho acinte
Irmão enjoado
Rosto emproado
Corpo dourado
Fremente de brio

À porta da igreja
Cristo estendia a mão
À vaidade mundana
Rosto chagado
Corpo rasgado
Avezo vagabundo

À porta da igreja
Alegorização
Da vanidade humana
Rosto simulado
Corpo pesado
Desprezo profundo

À porta da igreja
A eterna peleja
Deste mundo voraz
Morre Cristo
Come Barrabás

Flávio Monte

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

TERRA FRIA


Quero ir ao meu Barroso
Beber o ar da montanha
Sentir o chão alteroso
O hálito limpo e airoso
De um aroma que se entranha

Quero ir à minha terra
Ser o dia que amanhece
Ver o céu que desenterra
Dos cavos brônquios da serra
Um ar frio que apetece

Quero ir onde nasci
Voltar à lareira quente
Da infância que vivi
Da essência que fruí
No calor da minha gente

Flávio Monte

  © Blogger template 'Fly Away' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP